Decisões importantemente triviais, iPhone, milho e coronavírus

Parece óbvio, mas são tantas as obviedades que nos atingem em algum momento da vida que essa mereceu um post. Yuval Harari, professor e escritor israelense, alçado ao mundo na última década pelo seu Sapiens: uma breve história da humanidade, traz entre várias doses de conjecturas ou acontecimentos históricos (e, com o perdão da redundância, pré-históricos!) a discussão do porquê os eventos mais importantes e, também os triviais, da história aconteceram.

A falácia que acompanha normalmente nosso pensamento vem desde o ensino escolar que conta a história como uma sucessão de acontecimentos inevitáveis e explica o contexto que permitiu tudo acontecer (o “como”) em vez do “por que”, nos levando ao caminho do erro, de pensar, por exemplo, que a globalização, o smartphone, as grandes religiões e comermos milho na Alemanha, na Turquia e no Brasil é algo que não tinha outro rumo senão acontecer na história. Na verdade, todos esses eventos (as trocas de produtos e redução de barreiras nas fronteiras entre país que são embrião da globalização, o progresso científico que levou um Steve Jobs a um palco apresentar seu iPhone, ou as migrações dos homo sapiens levando suas crenças/religiões ou o plantio dos mesmos alimentos a todos os continentes) foram acontecimentos usuais no curso da história do seus protagonistas.

Enquanto a história está sendo escrita, sempre teremos uma infinidade de caminhos que podemos seguir com ela e, independente do escolhido, nunca saberemos o quão importante com certeza ele será para a nossa vida e para a humanidade. Um exemplo oportuno que Harari faz questão de usar é o de Constantino, imperador romano que trocou a religião do Império Romano para o cristianismo, que sequer imaginou que essa sua decisão implicaria que 2,3 bilhões de pessoas hoje se identificassem com essa crença. Para ele, foi apenas uma decisão.

Assim é, com grandes decisões para a humanidade, mas também se aplica ao nosso cotidiano. Vivendo sob um mundo que respira e pede mudanças em 2020, impulsionadas pela pandemia de coronavírus, sabemos que mudanças virão, mas certamente seus atores (dos criadores de uma vacina eficaz a você e eu) que desempenharão seus papéis não tem consciência do todo que representam suas ações para o prisma de médio e longo prazo.

———-

Toda semana um post. Ou seu dinheiro de volta.